A CANTAREIRA É NOSSA!!

Aos senhores frequentadores,
moradores, donos de bares,
camelôs, garçons, estudantes,
crianças, cadeirantes, aposentados,
gente da paz, do trabalho, da razão,
gente que curte esta praça,
este espaço de gente decente,
plural em sua diversidade,
que vive no caos dessa cidade,
que escolhe este lugar,
fugindo de lugares da moda,
para tomar umas geladas,
depois do trabalho, depois dos estudos,
ou mesmo antes de partir pra noitada.
Que se reúne com amigos e conhecidos,
para brindar por mais um dia vencido…

OS QUE ESTÃO NO PODER, PRESTEM ATENÇÃO !!

Pode parecer que não,
mas isto é muito importante !

Querem destruir este lugar,
querem afastar essas pessoas
que aqui gostam de ficar,
namorar, jogar conversa fora,
passear, contar piadas, abraçar,
rir, comer, beber, fumar, brincar…
na paz da convivência respeitosa,
carinhosa, de gente boêmia e feliz,
gente de todos os credos e raças,
praça que abriga tudo e tantos,
que deixa aqui sorrisos e prantos,
tentando chegar ao fim do mês,
correndo o risco de mais uma vez
perder este espaço do povo,
que não luta apenas por dinheiro,
que sobrevive de janeiro a janeiro,
exigindo e merecendo respeito.

Essa gente que aqui frequenta
hoje está revoltada e com razão,
porque não querem mais,
não aceitam mais,
não suportam mais,
viver entre grades de prisão,
esse absurdo da falta de segurança,
essa ilusão dos condomínios,
essa falta de contato humano.

Essa gente quer preservado este lugar,
quer curtir sua mocidade,
quer conviver com tranquilidade e…
Se preciso, atenção!
Gritar aos ouvidos surdos
dos políticos e empresários:

– Para essa afronta de destruição nós dizemos NÃO !!!

Aqui é o espaço que nos resta,
é espaço de festa, de distração.
Já cansamos dessa diária confusão,
desse monte de prédios em construção,
desse caos no trânsito sem solução.
Ninguém aguenta mais exploração!

Portanto, senhores políticos,
por favor, prestem atenção!
Esse povo que aqui frequenta,
Quer preservada a nossa praça,
este espaço multifuncional,
com bandas, jongo, jogral,
poesia, música, diversão,
e por mais que pareça incrível,
não está exigindo muito não.

Querem se proteger do calor do sol,
descansar sob as sombras das árvores,
pegar vento, compartilhar lamentos,
ler jornal, descansar e trocar ao menos
dois dedos de prosa entre goles de cerveja.

Aqui é nosso espaço, nossa praça,
ninguém tasca, ninguém põe a mão!
Esse povo que aqui frequenta
não aguenta mais tanta corrupção.
Esse povo só quer viver em paz,
tomar um sorvete, comprar pão,
sentar no banco da praça,
e rir de suas desgraças,
com um pouco de ilusão.

Esse povo quer proteção,
de gente competente,
que precisa fazer valer a vontade,
respeitar a dignidade,
de quem os elegeu representantes
dessa chamada coletiva razão.
E não é a vontade das construtoras
que deve prevalecer, nunca! Não!

A gente só quer fazer nossa parte,
participar da arte sofrida,
do teatro desta vida,
com um pouco de diversão.

– Para essa afronta de destruição nós dizemos NÃO !!!

(Anderson Porto)

Hipocrisia falaciosa autofágica

Eles comandam tudo
lá de dentro das cadeias
– via celular!

E saem para passear nos feriados…
E roubam e matam,
… com pouso seguro
na hora de voltar …

Em Brasília, 19:00h.

Rotos pavões fantasiados
de distintos senhores e senhoras
a roubar, descaradamente,
com desvio de verbas,
superfaturando,
botando dinheiro na cueca,
na meia, no bolso,
na mala, na sala,
na mansão de Angra,
caviar com champanhe no jantar,
com medo da esquerda,
e sempre fazendo merda.

Em Brasília, 19:00h.

Isso é um absurdo!
Quando que essa roubalheira
[irá acabar? ]
Por que ninguém faz alguma coisa?
Cadê a justiça?
Onde já se viu,
tanta cara-de-pau?
puta que pariu…

Em Brasília, 19:00h.