A “Guerra aos Homens” Através da Degradação de Mulher

1209386_561318113932850_780275945_n

”Como um homem pode reconhecer o seu “Eu Completo” e seu pleno poder através dos olhos de uma mulher incompleta? A mulher que tem sido despojada do seu reconhecimento como “Deusa” e foi diminuída para uma bunda e peitos grandes para o conforto físico apenas.

A mulher que foi silenciada para que pudesse esquecer a sua essência espiritual, porque suas palavras agitam muitos pensamentos fora do espaço do prazer.

A mulher que foi diminuída para cobrir tudo o que apodrece dentro dela com roupas e sapatos vermelhos.

Estou certa de que os homens que reestruturaram as nossas sociedades de culturas onde a mulher era honrada, não tinham ideia do resultado. Eles não tinham ideia de que, eventualmente, até mesmo os homens tornariam-se vazios e com saudade da profundidade, significado e conexão.

Há uma profunda tristeza em mim quando eu assisto a um homem que não pode reconhecer o vazio que sente quando objetiva-se como um banco e realmente acredita que ele pode comprar o amor com as coisas e status social. É doloroso para ele testemunhar a “traição” quando uma mulher recusa a oferta.

Ele não reconhece que a criação de uma meia-mulher tem contribuído para a sua raiva reprimida e a frustração de sentir que ele não é suficiente. Ele, então, pode não conseguir amar nenhuma mulher ou pode manter varias meias-mulheres como o seu “prêmio”.

Ele não reconhece que é sua submersão na cultura guerreira desequilibrada, onde a violência é o meio de conseguir respeito e poder, como a razão pela qual ele pode quebrar o rosto da mulher, que lhe deu quatro filhos.

Quando a mulher é perdida, assim é o homem. A verdade é que a mulher é a janela para o coração de um homem e coração de um homem é a porta de entrada para a sua alma.

Poder e controle NUNCA irá ser maior que o amor.

Que todos nós possamos encontrar o nosso caminho.”
~ Jada Pinkett-Smith, Revista Sinuous

Fonte: [ Evolução da Consciência ]

Anúncios

Sobre crenças e experiência própria

935528_448387238575762_1665540958_n

“Não acredite em algo simplesmente porque ouviu. Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito. Não acredite em algo simplesmente porque esta escrito em seus livros religiosos. Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade. Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração. Mas depois de muita análise e observação, se você vê que algo concorda com a razão, e que conduz ao bem e beneficio de todos, aceite-o e viva-o.”

Siddhartha Gautam Buddha

Pluma pousada em pensamentos

O primeiro tempero
Desse desespero
Encontra na sede
de um beijo
O desejo de sonhar
Arpoar a fome cerrada
E de tanto levar porrada
Formar a rede
De seus pensamentos

O primeiro carinho
É um ninho de pesadelos
Sorvetes em sol a pino
Destino que toca de leve
Desejos roucos,
vorazes e felizes.

É o primeiro sentido
É a verdade
Que dizem ser maldade
Em corações partidos.

O primeiro arrepio
É um sentimento
Que devora a alma.

E faz da paz
Um terreno voraz
Em menos de um segundo
A lutar com o mar
Nesta imensidão de mundo.

Toda hora
Nesse tempo todo
Nesse lodo que borbulha
A pulga pula
Vestida de baiana
Metida a cigana
Cheia de harmonia

Vai que um dia
Ela experimenta
A paz tão calma
De um momento
Que extasia?