TOP SECRET – A CONSPIRAÇÃO CONTRA O BRASIL

(quem não assistiu, assista! Documentário “tem-que-ver”!!!)

Link1:
http://www.aepet.org.br/site/debate_brasil/video_interna.php?videoID=357

Link 2:
http://www.aepet.org.br/site/debate_brasil/video_control/flvplayer.swf?file=../videos/357/TOP%20SECRET%20%20%20A%20Conspirao%20contra%20o%20Brasil.flv&backcolor=0xf1ecce&frontcolor=0x318585&lightcolor=0x9a7e29

“O filme investiga a participação do governo americano no golpe de 64. Contém boas análises políticas e coloca os episódios em seu contexto mas vai além. Apresenta fatos e provas.

Escrito pelo jornalista Flávio Tavares, testemunha e participante da resistência ao golpe, o filme apresenta 70 minutos de gravações, documentos secretos e depoimentos variados. Pronunciada por um dos primeiros líderes do golpe, o general Guedes, a frase de abertura do filme é inesquecível: “Aqueles que não amam a revolução devem pelo menos temê-la…” E por aí vai…

São diálogos contundentes e textos esclarecedores. O filme mostra o afastamento e por fim a oposição completa da Casa Branca à Goulart. As discordâncias são explicadas e analisadas, desde a postura do governo brasileiro em relação a Cuba — contra o bloqueio, pelo respeito à não-intervenção — até questões internas, relativas a lei de remessa de lucros e a concessão de serviços públicos a empresas estrangeiras. Aparecem deputados da oposição que admitem ter recebido dinheiro da CIA para se eleger e combater o governo.

No fim do documentário, não é possível dar crédito à versão de que João Goulart caiu de maduro, porque seria um estadista tão fraco, tão incompetente, tão desorientado, que a conspiração civil-militar que o derrubou nada mais fez do que apressar um desfecho inevitável. O filme deixa claro que o governo americano teve um papel decisivo, nos preparativos militares, na criação de um ambiente desfavorável a Goulart e nos dias seguintes à deposição, quando deu respaldo e legitimidade à intervenção.

Já se sabia que John Kennedy dera o sinal verde para o golpe em 1962, numa conversa com o embaixador Lincoln Gordon, na Casa Branca. Mas é diferente quando se ouve a conversa, com a voz de cada um, com as frases, as perguntas, as discussões.

Embora tenha tentado reescrever sua própria biografia, mais tarde, eximindo seu país e a si próprio de qualquer atuação relevante, Gordon está sempre ali, resoluto e decidido, empurrando Kennedy — e depois Lyndon Johnson, que o sucedeu — para a ação contra Goulart e o apoio incondicional aos golpistas. O embaixador sugere o envio de uma frota para a Costa Brasileira. Pede dinheiro da CIA para criar um ambiente desfavorável a Jango. Terá uma influencia importante na escolha de Castelo Branco como primeiro presidente do regime militar.

Através de diálogos gravados e documentos secretos, fica claro que o adido militar americano, o coronel Vernon Walthers tinha uma grande ascedência sobre Castelo Branco, a quem conhecia desde os campos de combate da Segunda Guerra, na Itália. Será influente antes e depois do golpe, quando passa a usar esta aproximação para acompanhar os bastidores do governo brasileiro. O filme mostra documentos em que, após conversar com Castelo Branco, o disciplinado Walthers vai para casa e envia um despacho em que relata o encontro.

Está tudo lá, com som e imagem.

Embora muito educativo, é constrangedor.”

Fonte: http://blogdolomeu.blogspot.com.br/2012/04/o-golpe-de-64-em-som-e-imagem-top.html

Anúncios

A ditadura perfeita

384438_490980847622596_1282228096_n

A ditadura perfeita terá as aparências da democracia, uma prisão sem muros na qual os prisioneiros não sonharão sequer com a fuga. Um sistema de escravatura onde, graças ao consumo e ao divertimento, os escravos terão amor à sua escravidão” – Aldous Huxley –

O mais conhecido e seguramente o mais importante de seus romances foi Admirável Mundo Novo. Escreveu-o em apenas quatro meses.

É importante notar que, à época, Hitler ainda não estava no poder e os expurgos na União Soviética estavam longe de ter início. Não obstante, imaginou uma sociedade que usaria a genética e a clonagem a fim de condicionar e controlar indivíduos. Nesta sociedade do futuro, todas as crianças seriam concebidas em provetas. Seriam geneticamente condicionadas para pertencer a uma das cinco categorias, da mais inteligente a mais inferior.

Admirável Mundo Novo iria delinear o que se pareceu com uma perfeita ditadura. Teria a aparência de uma democracia, mas seria basicamente uma prisão sem grades da qual os detentos nem sonhavam em escapar. Seria essencialmente um sistema de escravidão em que os escravos, por meio do entretenimento e do consumo, “adorariam sua escravidão”.

O título do livro veio de A Tempestade, ato 5, cena1, de Shakespeare.

O dia que não aconteceu

human_rights_in_brazil_2_by_latuff2

Ruas apinhadas,
Jornais empilhados.
Velhas notícias mofadas,
Manchetes manchadas,
Escritas com sangue,
Mortes e covas rasas.
Guerra covarde
Na própria terra…
– Na própria terra !!!
– No próprio quintal de casa!!

Lá nos cruzamentos,
Tanques, caminhões,
Bombas, cassetetes,
contra as tais
supostas ou impostas
transgressões.

Jovens recrutados,
recém fardados;
o velho poder
de dar porrada.

Soldados perfilados,
Borrando botas
Novinhas,
Patrocinadas…
– Vais me dizer que não?

Continuar lendo