FÉ, RELIGIÃO E DIREITOS SOCIAIS

João Batista Damasceno

Muitas pessoas reclamam da perda dos direitos sociais, mas apoiam políticos que os excluem. Chegam até a financiar líderes religiosos que usam as igrejas para suas ascensões políticas. Reclamam do que promovem.

Viver eticamente implica comportarmo-nos de tal modo que nossa conduta possa ser elevada a valor universal aplicável a todos, inclusive a nós mesmos.

Isto implica sabermos que todas as nossas condutas têm consequências e que devemos ter como nossas as retribuições pelo que fizemos, sem podermos supor como responsabilidade de terceiros o que causamos a nós mesmos e aos outros.

Não é questão de fé. Estes caras são inimigos da classe trabalhadora. Não é questão religiosa ou de fé.

Todo religioso que transforma o altar ou púlpito em palanque é mau caráter.

É corrupto porque corrompe a fé.

É fascista porque fala de um lugar que não permite contestação.

É intelectualmente desonesto porque fala de um lugar que não admite o debate.

Se obtém benefício custeado pela sociedade em proveito pessoal ou da agremiação religiosa que dirige é oportunista e fisiológico.

Se não distingue o público do privado (fé, interesse da sua igreja…) é patrimonialista.

11403021_840193136056564_6524638132013516588_n

Anúncios

Pelo fim da COMPETIÇÃO

“Todo mundo fala de paz, mas ninguém educa para a paz. As pessoas educam apenas para a competição e a competição leva à guerra.”
___
Pablo Lipnizky

Podio

Vivemos em uma sociedade que programa as novas gerações para a COMPETIÇÃO. Correto?

Então, se você observar bem, basicamente…

– O que é racismo? Competição.
– O que é machismo? Competição.
– O que é bairrismo? Competição.
– O que é xenofobia? Competição.
– O que é “bullying”? Competição.
– O que é homofobia? Competição.
– O que é fofoca? Competição.
– O que é a mentira? Competição.
– O que é a corrupção? Competição.

O que temos que eliminar de nossos hábitos, de nossas práticas, de nossa educação?

A competição.

O incentivo à competição de nossa sociedade moldada para o consumo transforma o cotidiano numa guerra velada, onde imperam as alianças em prol da destruição do “inimigo” comum.

Ao mesmo tempo que é desesperador constatar a falta de coesão humana, gerada por essa política de estímulo à competição, a realidade do decorrer dos dias nos faz perceber que mesmo as situações mais exdrúxulas são passageiras.

A solidariedade é facilmente percebida como sendo benéfica a todos.

A compaixão, a empatia, o abraço? Fundamentais.

Todo beco sem saída tem uma porta secreta.

Existe uma nova energia no ar, que permite a todos perceber o fútil, o supérfluo, o desnecessário.
E você, lá no seu interior, sabe que energia é essa, não sabe?

Estado resolvendo problemas sociais complexos

estado_resolvendo_problemas_sociais_cubo

Sobre Deus e Deuses

É por isso que acredito em Deuses, é bem mais lógico, mais coerente, pelo menos para mim…

Acredito que deve existir um “Deus da Corrupção”, um “Deus da Ganância”, um “Deus da Ignorância” e por aí vai… Tava lendo que na Índia existem mais de 30 mil Deuses.

Daí, quanto mais a gente fizer pedidos, oferecer alguma coisa ou acender velas para cada um desses “Deuses”, mais eles ficam “fortes”, mais porretas, maiores…

Ao meu ver, por enquanto, aqui no Brasil, os Deuses da Corrupção e da Ignorância estão bem mais fortes.

Hipocrisia falaciosa autofágica

Eles comandam tudo
lá de dentro das cadeias
– via celular!

E saem para passear nos feriados…
E roubam e matam,
… com pouso seguro
na hora de voltar …

Em Brasília, 19:00h.

Rotos pavões fantasiados
de distintos senhores e senhoras
a roubar, descaradamente,
com desvio de verbas,
superfaturando,
botando dinheiro na cueca,
na meia, no bolso,
na mala, na sala,
na mansão de Angra,
caviar com champanhe no jantar,
com medo da esquerda,
e sempre fazendo merda.

Em Brasília, 19:00h.

Isso é um absurdo!
Quando que essa roubalheira
[irá acabar? ]
Por que ninguém faz alguma coisa?
Cadê a justiça?
Onde já se viu,
tanta cara-de-pau?
puta que pariu…

Em Brasília, 19:00h.