As origens da Bíblia – incêndio da Biblioteca de Alexandria

Septuaginta

Septuaginta

Ele encomendou 72 eruditos não Kemetico/ egípcios para traduzir os pergaminhos antigos e compilá-las em um livro para os gregos. Este livro foi chamado de Septuaginta (ou seja, setenta, ou LXX). Este é o livro de onde obtemos o Pentateuco, do Torá, e do Antigo Testamento.

Egito / Roma

AS ORIGENS DA BÍBLIA. ALEXANDRE QUERIA SER PROCLAMADO COMO UM DEUS

Nossa história começa com AlexandRE G, o chamado conquistador do Egito. Ele queria ser proclamado como um deus assim, ele foi, com seus soldados, para um Oráculo de Amon no Egito ocidental num lugar chamado o oásis de Siwa.

Ele perguntou ao oráculo, “Eu sou o Filho de Amun”
O Oráculo disse: “Não”. Ele colocou uma espada no pescoço do Oraculo, OracULO disse QUE
: “Sim”.

A partir daí, Alexander foi para o Templo de Ptah em Memphis para obter o sacerdote lá para anunciá-lo como o “Filho de Deus”. Alguns dos sacerdotes se recusaram, no entanto, ele ainda tinha moedas cunhadas que descreve a si mesmo como o Filho de Amun.

Apesar de suas tentativas de retratar a si mesmo como um Filho de Amun, os sacerdotes, assim como o resto do povo egípcio nunca aceitaram-lhe como o Filho de Amun. Em 331, ele fundou a cidade de Alexandria.

Agora, o que é importante sobre isso é, Alexandria foi construída em terreno pantanoso recuperado. Não era uma parte do Egito. Foi “ad-hoc” Egito.
Era uma adição. Mais ou menos como a construção de uma plataforma em sua casa. Alexandria tornou-se o centro de helenística (grega) cultura no Egito.

Alexandria também foi uma das primeiras cidades segregadas. Os gregos foram os cidadãos de primeira classe e os egípcios foram na parte inferior.Pouco depois de Alexandria ter sido concluída, Alexandre deixou o Egito e nunca mais voltou. Depois de sua morte, um de seus generais, Ptolomeu Lagides assumiu o cargo de governador do Egito 323-283 aC e tornou-se conhecido como Ptolomeu Soter (O Salvador).

Ptolomeu queria ter sucesso onde Alexandre tinha falhado. Os gregos que vieram ao Egito logo se apaixonaram por cada coisa egípcia. Eles adotaram o estilo egípcio de vestido, cultura, religião … e é aí que os problemas começaram.

Os gregos adoravam cada coisa sobre o Egito, exceto as pessoas negras do Egito, e da adoração de divindades negras. Não importa o quanto eles imergiam-se em cultura egípcia havia uma coisa que eles não têm. A mesma aparência do deus que eles adoravam.

Os gregos poderiam vestir-se como os kEMET (antigo Egito) egípcio. Eles poderiam ir aos templos dos Kemetianos, mas um deus de pele negra era um lembrete constante de que eles não eram original Kemet ”egípcios” (Assim como o Semba, Kizomba, hip-hop, é cultura negra, hoje). Não importa o quanto eles imitavam os egípcios, eles não poderiam ser verdadeiramente egípcio.

Isso se tornou um problema quando a conquista estava acabada de uma nação e agora estão orando a e adorando um deus que se parece com as pessoas que você conquistou. Não pode ter isso, podemos?

A SoluÇÃO. Ptolomeu I ordenou o sacerdote egípcios para fazer estátuas à sua imagem para q os gregos o adorassem, e as colocar nos templos ao lado das estátuas originais, para que todos pudessem adorar juntos. Este era para ser a primeira tentativa de “integração”.

O sacerdote disse: “Não”. Ptolomeu ordenou a seu exército para encerrar todos os templos ao longo do rio Nilo, e confiscar todo o texto sagrado Kemetico. Ele, então, teve os texto em seu poder e trouxe para Alexandria. Esta foi a primeira vez, na história,que todo o conhecimento egípcio foi reunido em um só lugar. Nós todos sabemos que o conhecimento é poder. Neste ponto, Ptolomeu tinha todo o conhecimento, e assim a energia.

Ptolomeu queria encontrar uma divindade que iria ganhar a reverência de ambos os grupos, apesar do protesto dos sacerdotes egípcios. Alexandre tinha tentado usar Amun para este fim, mas Amun foi mais proeminente no Alto Egito, e não era tão popular como no Baixo Egito, onde os gregos tiveram influência mais forte.

No entanto, os gregos tinham pouco respeito por “figuras com cabeças de animais”, e assim por enfim uma estátua grega foi escolhida como o ídolo, e proclamado como equivalente antropomórfico dos Apis populares.Foi nomeado Aser-hapi (ie Osiris-Apis), que se tornou Serapis, e foi dito ser Osiris, na íntegra, ao invés de apenas o seu Ka (Espírito).

Ele tinha os textos sagrados guardados no Templo de Ptah, porque aqueles em que o mesmo sacerdote que capitulou aos desejos de Alexandre. Se você gosta, então podemos dizer que estes foram os primeiros ”NEGROPEUS” “NEGRO DA CASA” na história preta DOCUMENTADO.

Quando Ptolomeu Soter morreu, Ptolomeu Filadelfo assumiu e governou o Egito entre 283 aC a 246 aC.

Ptolomeu Filadelfo levou os pergaminhos que seu pai tinha roubado e os abrigou em um templo que ele construiu para o deus q seu pai criou, Serapis, chamado theSerapeum.

Depois que ele construiu o templo, ele construiu um outro sobre ele chamou o Mouseion em Alexandria…

Mais de 1.000 estudiosos viveram no Mouseion em um determinado momento. Os membros da equipe e estudiosos eram assalariados pela Mouseion e não pagava nenhum imposto.

Eles também recebiam refeições gratuitas, espaço livre e placa, e servos livres. O Mouseion foi administrado por um sacerdote nomeado por Ptolomeu II.Gregos estavam no Egito aprendendo e estudando a sabedoria acumulada da civilização Africana, incluindo Platão, que me disseram que era uma das pessoas mais sábias na história ocidental.

Ele era apenas um estudante dos africanos. A “universidade” foi dirigido por um sacerdote egípcio nomeado por Ptolomeu II. Ele pode ser considerado o segundo documentado “NEGROPEU” OU ”NEGRO DA CASA” da história. Depois que os gregos aprenderam tudo o que podiam dos egípcios, e eles incendiaram os outros pergaminhos para destruir todas as provas de conhecimento egípcio. Isto é conhecido na história como o incêndio da Biblioteca de Alexandria.

Antes da biblioteca e o texto serem destruídos por Ptolomeu Philodelphius percebeu que não havia uma cópia do Kemetico / texto egípcio antigo para os egípcios gregas para ler.

Ele encomendou 72 eruditos não Kemetico/ egípcios para traduzir os pergaminhos antigos e compilá-las em um livro para os gregos. Este livro foi chamado de Septuaginta (ou seja, setenta, ou LXX). Este é o livro de onde obtemos o Pentateuco, do Torá, e do Antigo Testamento.

A Bíblia não é nada mais do que uma regurgitação grega incompreendida, e histórias plagiada de Kemetico. Nubio

Fonte: [ Mata Hari, via Facebook ]

Mais infos:

África: lugar das primeiras descobertas, invenções e instituições humanas