Quase Sem Querer

Tenho andado distraído
Impaciente e indeciso
E ainda estou confuso
Só que agora é diferente
Estou tão tranquilo
E tão contente

Quantas chances
desperdicei
Quando o que eu mais queria
Era provar pra todo o mundo
Que eu não precisava
Provar nada pra ninguém

Me fiz em mil pedaços
Pra você juntar
E queria sempre achar
Explicação pro que eu sentia

Como um anjo caído
Fiz questão de esquecer
Que mentir pra si mesmo
É sempre a pior mentira

Mas não sou mais
Tão criança a ponto de saber tudo

Já não me preocupo
Se eu não sei porquê
Às vezes o que eu vejo
Quase ninguém vê
E eu sei que você sabe
Quase sem querer
Que eu vejo o mesmo que você

Tão correto e tão bonito
O infinito é realmente
Um dos deuses mais lindos

Sei que às vezes uso
Palavras repetidas
Mas quais são as palavras
Que nunca são ditas?

Me disseram que você
estava chorando
E foi então que percebi
Como lhe quero tanto

Já não me preocupo
Se eu não sei porquê
Às vezes o que eu vejo
Quase ninguém vê
E eu sei que você sabe
Quase sem querer
Que eu quero o mesmo que você

(Quase sem querer – Legião Urbana)

Anúncios

Kindred Spirits

Kindred Spirits are two people that make a special connection by sharing a bond that has joined them by the means of an experience that has drawn them together on a higher level of consciousness. This connection can be from the same experience at the same time or two separate experiences similar in nature.

If two people were in a dramatic situation and had to depend on each other in order to get out of the situation or one having to help rescue the other, they would become bonded as kindred spirits.

Oftentimes, a couple will meet that had both come from very bad past situations in a relationship; a bond is then reached because an understanding of what the other had been through where they feel no one else truly understands, through this the have become kindred spirits.

833px-Asher_Durand_Kindred_Spirits

Zumbi

Angola Congo Benguela
Monjolo Cabinda Mina
Quiloa Rebolo
Aqui onde estão os homens
Há um grande leilão
Dizem que nele há
Um princesa à venda
Que veio junto com seus súditos
Acorrentados num carro de boi
Eu quero ver
Eu quero ver
Eu quero ver
Angola Congo Benguela
Monjolo Cabinda Mina
Quiloa Rebolo
Aqui onde estão os homens
Dum lado cana de açúcar
Do outro lado o cafezal
Ao centro senhores sentados
Vendo a colheita do algodão tão branco
Sendo colhidos por mãos negras
Eu quero ver
Eu quero ver
Eu quero ver
Quando Zumbi chegar
O que vai acontecer
Zumbi é senhor das guerras
È senhor das demandas
Quando Zumbi chega e Zumbi
É quem manda
Eu quero ver
Eu quero ver
Eu quero ver

(Jorge Ben Jor – Zumbi)

JORGE-BEN-JOR1

Cálice

Pai, afasta de mim este cálice
Pai, afasta de mim este cálice
Pai, afasta de mim este cálice
De vinho tinto de sangue

Pai, afasta de mim este cálice
Pai, afasta de mim este cálice
Pai, afasta de mim este cálice
De vinho tinto de sangue

Como beber dessa bebida amarga?
Tragar a dor engolir a labuta?
Mesmo calada a boca resta o peito
Silêncio na cidade não se escuta
De que me vale ser filho da santa?
Melhor seria ser filho da outra
Outra realidade menos morta
Tanta mentira tanta força bruta

Pai,(pai) afasta de mim este cálice
Pai, afasta de mim este cálice
Pai, afasta de mim este cálice
De vinho tinto de sangue

Como é difícil acordar calado
Se na calada da noite eu me dano
Quero lançar um grito desumano
Que é uma maneira de ser escutado
Esse silêncio todo me atordoa
Atordoado eu permaneço atento
Na arquibancada pra qualquer momento
Ver emergir o monstro da lagoa

Pai,(pai) afasta de mim este cálice
Pai, afasta de mim este cálice
Pai, afasta de mim este cálice
De vinho tinto de sangue

De muito gorda a porca já não anda
(cálice)
De muito usada a faca já não corta
Como é difícil, (pai)pai, abrir a porta
(cálice)
Essa palavra presa na garganta
Esse pileque homérico no mundo
De que adianta ter boa vontade
Mesmo calado o peito resta a cuca
Dos bêbados do centro da cidade

Pai, afasta de mim este cálice
Pai, afasta de mim este cálice
Pai, afasta de mim este cálice
De vinho tinto de sangue

Talvez o mundo não seja pequeno
(cálice)
Nem seja a vida um fato consumado
(cálice)
Quero inventar o meu próprio pecado
(cálice)
Quero morrer do meu próprio veneno
(pai) (cálice)
Quero perder de vez tua cabeça
(cálice)
Minha cabeça perder teu juízo
(cálice)
Quero cheirar fumaça de óleo disel
(cálice)
Me embriagar até que alguém me esqueça
(cálice)

(Chico Buarque & Milton Nascimento – Cálice)

cac2a1lice

Amem

Pelo retrovisor enxergamos tudo ao contrário
Letras, lados, lestes
O relógio de pulso pula de uma mão para outra e na verdade… ]
[ nada muda
A criança que me pediu dez centavos é um homem de idade ]
[ no meu retrovisor
A menina debruçando favores toda suja
É mãe de filhos que não conhece
Vendeu-os por açúcar
Prendas de quermesse
A placa do carro da frente se inverte quando passo por ele
E nesse tráfego acelero o que posso
Acho que não ultrapasso e quando o faço nem noto
O farol fecha…
Outras flores e carros surgem em meu retrovisor
Retrovisor é passado
É de vez em quando… do meu lado
Nunca é na frente
É o segundo mais tarde… próximo… seguinte
É o que passou e muitas vezes ninguém viu
Retrovisor nos mostra o que ficou; o que partiu
O que agora só ficou no pensamento
Retrovisor é mesmice em dia de trânsito lento
Retrovisor mostra meus olhos com lembranças mal resolvidas
Mostra as ruas que escolhi… calçadas e avenidas
Deixa explícito que se vou pra frente
Coisas ficam para trás
A gente só nunca sabe… que coisas são essas

(O Teatro Mágico – Amem)

A lenda da guerra às drogas

1480721_636871549704950_492875529_n

“Nada mais conveniente para um governo em ruína do que a oportunidade de uma guerra, porque nada dissolve tao rapidamente contradições quanto a identificação de inimigos, diante dos quais a sociedade dividida se coesiona e reforça a autoridade de seu líder.

Foi assim com Videla, a crise da ditadura argentina e a guerra das Malvinas. Foi assim com Reagan, a crise social pós-queda do muro e a guerra às drogas.

Foi assim com Bush, a crise interna de legitimidade e a guerra ao terror.

E será assim com Cabral, o desastre de seu governo e a guerra ao trafico 2, o retorno, buscando reeditar a invasão militar do Alemão, com a cumplicidade ativa do governo federal e a cobertura preciosa da mídia neutra e objetiva.

A refilmagem do Alemão, sucesso de publico e critica, em 2010, não seria possível sem tropas federais, cuja presença converte ações de (in)segurança pública em operação bélica, requalificando suspeitos de delitos como inimigos.

Diz-se, com razão, que o patriotismo eh o último refugio dos canalhas. Talvez se devesse acrescentar que o teatro da guerra ao tráfico, na abertura do ano eleitoral e nas vésperas de uma Copa contestada, eh o ultimo suspiro da pusilanimidade política.”

(Luiz Eduardo Soares)
https://www.facebook.com/luizeduardo.soares.716

GrEENZILLA – Distant Alien Organisms

We all E.T.s trapped in an existance, perception blocked by Saturns radio emissions. We all think its the end but really maybe its just consciousness shiftin to a new recognition. And come again like a new wave bringin in new fishes from older days, and the time comes so ya betta start readyin cuz mothafucka its almost armageddeon. And they usin the moon, to bounce sine waves back and forth from saturn its true. Look at the planet, or mabye a dwarf star looks like its got an antenna & Goes far. Distant alien organisms communicating with earth & creating a schism

The world I know is goin’ away.
The world I love is goin’ away
All inside – Fading away.
Come again?

Mark of the beast dollar bill thrills, look at the triangle its a pyramid still. If we could see the ocean bed floors we’d know what was in store and we’d run for seven scores like atlantis the ocean floor is buries and all the knowledge and lies seem to be carefully carried and the time comes so ya betta start readyin cuz mothafucka its almost armageddeon. And they usin the moon, to bounce sine waves back and forth from saturn its true. DISTANT ALIEN ORGANISMS, communicating with earth creating a schism Mental aviation created by negligence and ties and separation.

Were moving on! (Finally)

The world I know is goin’ away.
The world I love is goin’ away
All inside – Fading away.
Come again?

(GrEENZILLA - Distant Alien Organisms)

(GrEENZILLA – Distant Alien Organisms)