Nova Gênese – Capítulo I – parte 3

Roteiro: NOVA GÊNESE
Autor: Anderson da Costa Porto
Dt.: 06/03/06

[ parte 1parte 2parte 3 ]

Argumento: A humanidade descobre um objeto gigantesco, vindo em direção a Terra e decide fugir, construindo uma nave que permita que parte da população mundial possa escapar e permanecer por décadas no espaço. Durante a construção, uma escavação na Amazônia descobre um templo antigo, com segredos que poderão mudar completamente toda a história da humanidade.

>>>

(Recapitulando…)

(Mar de 1999)

No espaço, a operação tem início. Os módulos começam a se juntar, sem que os motores tenham sido ligados. Ninguém entende nada. Um clima de desespero toma conta dos tripulantes que permanecem na nave. Após alguns minutos, o segundo módulo está encaixado. Todo o mundo respira aliviado. As comportas da nave começam a se abrir e todos os tripulantes são atirados no vácuo, porém ficam intrigados pois conseguem respirar e se locomover. As comportas são fechadas. A nave inteira começa a brilhar. Um brilho vermelho, depois alaranjado, logo, logo, amarelo incandescente. O brilho, aos poucos, esvaece e as comportas se abrem novamente. Os tripulantes caminham, maravilhados, em direção à nave. Após todos entrarem, as comportas voltam a se fechar. A parte estrutural da nave está completamente finalizada.

Asthiagor levanta, apaga um pedaço do círculo e caminha, meio cambaleante, em direção à uma parede que ninguém havia notado, ao chegarem. Ele atravessa a parede e desaparece. Todos que tentam seguí-lo recebem um choque, ao encostar na parede.

Restam dois pedidos.

>>>

CAPÍTULO I – continuação

(Abr de 1999)

O corpo de James van Therlok é achado intacto, sem nenhuma marca da explosão. Therlok é examinado e não encontram traços da radiação, porém todos se assustam quando ele abre os olhos. Dali é levado para a enfermaria e sua estrutura genética é avaliada através de uma série de exames.

Asthiagor finalmente sai de seu confinamento. Sua aparência é a de um homem cansado, preocupado. Ele diz: “ -– Estou enfraquecido pelo tempo e pelo espaço. Este planeta não possui mais os níveis de energia que outrora possuiu. Cada vez que utilizo meus poderes uma parte de minha força vital se esvai. Para realizar os pedidos que ainda restam, devo recarregar minha força com a energia do cosmos. Necessito de receptores próprios para captar esta energia e os únicos canalizadores que consigo perceber são os antigos monumentos, aqueles que vocês chamam de maravilhas do antigo mundo”.

Assim sendo, Asthigor parte e dá início à construção de seu captador. Ele se senta no meio do deserto. Começa a cantar em tons baixos palavras desconexas. De todas as partes do mundo monumentos antigos começam a tremer. Logo, logo, flutuar. Um rumo em comum eles parecem partilhar: o Deserto do Saara.

(Mai de 1999)

Começa o embarque da população mundial. Como uma imensa Arca de Nóe, vários casais de topos os tipos de espécies também são embarcados. Só é permitido levar pertences pessoais, que levem consigo. Todas as armas são confiscadas e destruídas. A estimativa é de que se perca mais de dois meses com o embarque.

Enquanto isso, com o material de vários monumentos, Asthiagor faz os últimos ajustes no enorme captador que construiu. Ele entra em um complexo para onde serão conduzidos os raios cósmicos. Câmeras previamente instaladas no local mostram Asthiagor ligar a máquina. Por alguns segundos nada parece acontecer, entretanto, logo percebem-se faíscas percorrendo o céu e indo em direção ao captador. Como uma imensa antena, estas faíscas são atraídas pela antena e se acumulam na câmara onde Asthiagor, antes quieto e sereno, agora adquire um brilho cegante. As faíscas parecem se concentrar todas em seu peito. Asthiagor muda de aparência e começa a ficar mais jovem, além de crescer 5, 10, 20 centímetros. Logo ele parece alcançar o teto com as mãos. Uma névoa começa a cobrir a filmagem das câmeras. As faíscas param de cruzar o céu. O complexo se abre. Asthiagor, com quase 4 metros e aparentando um jovem de 18 anos, se dirige ao mundo: “ – Qual é o quarto pedido?”.

O Conselho Global decide pedir a ajuda de Asthiagor no transporte das fábricas para a nava GALAXIA, visto que o maior problema é exatamente conciliar a falta de gravidade com a maneira das fábricas produzirem. Ele imediatamente retorna para seus discípulos e começam a conversar. Ele pergunta sobre seu manto e lhe informam que Lamer ainda não retornou. Asthiagor some numa nuvem de fumaça (…) e reaparece pouco depois, com seu discípulo vivo, mas todo machucado.

Asthiagor, com seu manto, reúne todos os chefes de Estado da Liga e pergunta quais fábricas que eles querem que sejam transportadas para a nave. “ –- Mas e o problema da gravidade?” – perguntam. Asthiagor parece abstrair-se por alguns instantes, para logo pronunciar: “ –- Será resolvido”.

(Jun de 1999)

A nave GALAXIA, com a ajuda de Asthiagor, ganha mais um novo instrumento: o Gerador de Campo Magnético Artificial — G.M.C.A. – especialmente projetado para sustentar o modo de produção adaptado de algumas indústrias que serão levadas a bordo.

Asthiagor reúne seus discípulos em volta de uma grande fogueira, unidos de mãos dadas. Todos concentrados e de olhos fechados. Logo o fogo começa a mudar, passando para uma cor verde-esmeralda. O brilho das chamas parece projetar as sombras de Asthiagor e seus discípulos. Um olhar mais atencioso e nota-se que as sombras começam a mover-se, dirigindo-se à fogueira. Um ser negro, com um emblema dourado e cintilante de uma taça no peito, vai tomando forma aos poucos, até que finalmente começa a flutuar e voa rumo aos céus. Mais ou menos há cinquenta mil metros de altura a figura pára, abre os braços, fitando o sol. Parece energizar-se, visto que de seus olhos vislumbra-se um brilho púrpura, luminescente.

A criatura dispara raios aparentemente a esmo, em todas as direções, mas logo se vê o resultado: os raios, cada um tomando rumo em direção a uma fábrica pré-estabelecida, ao chocarem-se com as construções, faz com que estas sejam teleportadas para a nave GALAXIA. Tão logo o trabalho dá-se por finalizado, a criatura mergulha em direção à fogueira e desaparece num brilho cegante. Asthiagor se levanta e cumprimenta seus discípulos um por um.

(Jul de 1999)

Somente quem teima em permanecer na Terra não embarcou na nave. A ambientação, após uma facílima pré-adaptação, torna-se amigável e descontraída, visto que GALAXIA, com o G.C.M.A., torna a gravidade da nave parecida com a da Terra. A estimativa inicial foi superada: mais de quatro bilhões de pessoas embarcaram e, destas, três bilhões foram postas em animação suspensa, nas câmaras do complexo VITAE. A maioria dos humanos que ficaram acordados foram cientistas, engenheiros, antropólogos, navegadores; e ainda toda a elite de alunos, professores de faculdades e pesquisadores.

O enigma de James van Therlok supostamente foi desvendado: ao purificar a nave da radiação, Asthiagor a retirou também do corpo de Therlok. Ao trabalhar energias cósmicas na GALAXIA, aaparentemente sustentou o fio de vida que ainda existia em suas células e o ressuscitou. Aparentemente porque, agora, depois de exaustivos testes e exames, sabe-se que o corpo de Therlok foi “melhorado”. Seus olhos passaram a ser brancos. Sua força foi aumentada ao extremo, como se somasse a força de 50 homens. Além disso, constatou-se a manifestação de poderes paranormais como telecinésia e telepatia.

(Ago de 1999)

Cientistas advertem que se não partirem logo, será quase certo não conseguirem escapar do raio da explosão. Um último problema: mesmo com a presença de tecnologia nunca antes imaginada, a nave não possui poder de propulsão suficiente para arrancar para sua jornada no cosmos.

Asthiagor comunica que descobriu uma maneira de salvar a Terra. As se indagar sobre se haveria futuro para todos, uma ideia apareceu: “ – Será que em alguma realidade alternativa do multiverso, a Terra não seria alvejada por um asteróide?” – perguntou-se. A partir daí, confinou-se no Templo para concentrar-se e acabou por achar aquela que seria ideal. Solução: mesclar a Terra atual com a alternativa. Problema: a realização de tal magia implica no acúmulo de energia pelos próximos três meses. Se Asthiagor ajudar a GALAXIA a partir, poderá não conseguir executar seu plano.

O Conselho Global decide pelas vidas humanas e pede o quinto e último pedido à Asthiagor: toda a ajuda necessária para a propulsão da nave. A Terra, como está sendo abandonada, segue em segundo plano de prioridade.

Asthiagor se despede de seus discípulos, que irão embarcar na nave, e presenteia a cada um com uma gema que os une mentalmente com Asthiagor, para o caso de ser necessário uma consulta ou conselho.

Satélites monitoram Asthiagor entrar no Templo. Todos os remanescentes são embarcados. Só ficam na Terra, ele, parte de alguns fanáticos e poucos habitantes que não foram localizados ou não quiseram entrar na nave.

[ CONTINUA NA PROXIMA SEMANA … ]

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s